O que é o capitalismo informacional e como vem afetando o mercado?

mão e celular representando capitalismo informacional

O capitalismo passou por diferentes transformações e fases desde o seu surgimento. As mudanças foram motivadas pelas revoluções industriais e o desenvolvimento da sociedade. Com as necessidades de consumo crescendo, algumas tendências despontaram — caso do capitalismo informacional, que modificou não só a maneira como consumimos informações, mas também produtos e serviços.

Mas, afinal, do que se trata essa expressão? De que maneira ela tem transformado a nossa relação com o trabalho? Qual o impacto dela sobre o que conhecemos hoje como sociedade? Neste artigo, separamos aqui na Unime as respostas a essas questões e um panorama sobre o capitalismo informacional na modernidade! Veja tudo isso a partir dos seguintes tópicos:

  • o que é o capitalismo informacional;
  • como ele afeta o mercado de trabalho;
  • quais são as profissões mais impactadas;
  • como o profissional deve usá-lo a seu favor.

Boa leitura!

O que é o capitalismo informacional?

O conceito de capitalismo informacional foi usado pela primeira vez no livro “A sociedade em rede” de Manuel Castells, sociólogo espanhol. Ele faz referência à evolução de instrumentos técnicos no sistema capitalista, envolvendo as mudanças tecnológicas que vieram com a terceira Revolução Industrial. Corresponde ao período econômico e social da modernidade, sendo marcado pela globalização, telefones digitais, robótica e internet.

Entre as suas principais características, estão:

  • expansão e desenvolvimento de tecnologias da informação;
  • aumento acelerado do fluxo de capital, mercadorias, informações, pessoas;
  • difusão maior do conhecimento;
  • maior dependência tecnológica, intensificada pelas redes sociais;
  • uso intensivo de tecnologia como estrutura social.

Como ele afeta o mercado de trabalho?

Diversas características do capitalismo informacional passaram a atuar diretamente na forma como o mercado de trabalho se comporta na atualidade, impactando a atuação dos profissionais. A começar pela difusão do sistema capitalista financeiro pelo mundo, devido à globalização.

Com isso, veio também a flexibilidade dos sistemas produtivos, marcado especialmente pelo toyotismo. Assim, passamos a ter uma produção voltada para a demanda, redução de estoques, diversidade de produtos fabricados, automatização da produção e mão de obra muito mais qualificada e multitarefas, ou seja, com diversas habilidades.

Tal sistema abriu espaço também para a expansão das multinacionais pelo mundo, bem como a difusão do neoliberalismo, que incentiva a mínima interferência do Estado na economia.

Outro marco no mercado foi que os países passaram a ser mais industrializados, e aqueles que já tinham essa fase bem desenvolvida começaram a se especializar, a fim de oferecer tecnologias de ponta. Tal processo intensificou também a monopolização do capitalismo financeiro, tornando realidade cotidiana as fusões e a criação de grandes conglomerados empresariais.

Consequentemente, houve um desenvolvimento do que chamamos meio técnico-científico-informacional, que nada mais é do que a evolução dos processos produtivos e reprodutivos no meio geográfico. Ou seja, há maior influência informacional sobre a maneira como o sistema produtivo atua.

Quais são as profissões mais impactadas?

Algumas áreas de atuação têm destaque quando se trata do capitalismo informacional. Elas têm impacto mais relevante na relação entre o homem e o mercado. Veja a seguir!

Tecnologia e telecomunicação

As tecnologias ligadas às telecomunicações, como rede de computadores, satélites de TV e rádio podem identificar os riscos que um país oferece. Mas o que exatamente isso tem de ligação com o capitalismo informacional?

Justamente a necessidade de profissionais habilitados para lidar com os dados vindos desses lugares, sem que necessariamente seja preciso sair do seu local de trabalho. Ou seja, há maior adaptação à necessidade de realizar transações sem deslocamento.

Transportes

Mesmo com a informatização crescente, o escoamento da produção exige uma infraestrutura cada vez mais robusta, a fim de conferir dinamicidade e velocidade. Portanto, uma das profissões mais impactadas nesse sentido é aquela ligada à infraestrutura, especialmente a Engenharia, que precisa garantir o fluxo vindo das indústrias.

Agropecuária

A produção agropecuária também exige dos profissionais ligados ao setor um maior desenvolvimento de práticas pecuárias e de agricultura de precisão, tendo como base a biotecnologia. Elas seriam responsáveis por gerar maior produtividade e menor custo ao produtor.

Comunicação

O setor de comunicação também é um dos mais impactados. A velocidade informacional e a necessidade de precisão nesse repasse são demandas urgentes, ainda mais considerando que hoje toda pessoa pode ser interlocutora no processo, o que pode levar a distorções da mensagem — caso ela não seja trabalhada corretamente.

Como o profissional deve usá-lo a seu favor?

Para usar o capitalismo informacional a seu favor, o indivíduo precisa entender a sociedade em que está inserido e partir do princípio de que ela está em constante transformação. Diante disso, vamos destacar alguns pontos importantes sobre o assunto!

Preparação para a mudança

Uma das características mais interessantes do capitalismo informacional é que ele promove uma constante mudança no mercado. Isso se deve à globalização provocada por ele, o que demanda uma capacidade de adaptação apurada para atender às novidades exigidas pelo mercado.

Obtenção de informação

Outro bom ponto a ser levado em consideração é a obtenção de informação. O capitalismo informacional tem fortes bases na troca de dados, e isso é bastante positivo para o profissional. Ele pode se aperfeiçoar de acordo com o conhecimento oriundo desses dados, tornando a sua formação mais completa. É possível considerar cursos de especialização ou uma segunda graduação, por exemplo.

Inovação

Mais uma maneira de aproveitar as vantagens do capitalismo informacional é a abertura dos meios de produção. Isso permite diretamente que as pessoas tenham acesso à inovação e possam pôr ideias em prática. Com isso, há meios para que elas se desenvolvam até que se tornem negócios de sucesso.

Maior aproveitamento da tecnologia

As facilidades proporcionadas pela tecnologia são uma das principais vantagens dessa modalidade de capitalismo. Há um aumento significativo de trocas de ideias e informações por meio de tecnologia. Com o deslocamento dos postos de trabalho, o profissional que melhor se adapta a essa realidade consegue se encaixar com maior facilidade.

Como visto, a revolução informacional teve impacto direto sobre as relações de trabalho que mantemos, mas também modificou todo o mercado. Quando falamos da nossa região em específico, vemos uma evolução nas atividades econômicas da região Nordeste, com algumas profissões em alta, como aquelas ligadas à inovação.

Gostou de saber mais informações sobre o capitalismo informacional? Que tal conhecer o mercado de trabalho na Bahia? Isso ajudará na sua escolha profissional!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.3 / 5. Número de votos: 6

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

cursos da unime

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content